quarta-feira, novembro 16, 2005

Rendo-me


Neste lenço onde colecciono as minhas lágrimas, conto as que te dediquei. Num qualquer lenço gelado e inútil, guardo as lágrimas que choro, que já chorei outrora. Dolentemente as aconcheguei no coração e pedi que as levasses.
Perdi-me na tempestade… não no mar alto mas na praia, porque na praia as vi partir, as vejo chegar.
Foste temporal em dia claro assim que me rendi…


Assim que me rendi…